Entrevista SALA VIP com Carlos Adauto Vieira



Natural de Lages, e radicado em Joinville há mais de 40 anos, após ter vivido também em São Francisco do Sul por 12 anos, o advogado, jornalista e escritor Carlos Adauto Vieira (também conhecido como Charles D’Olenger) está muito bem e ativo no auge de seus 80 anos. Totalmente ligado aos interesses da cultura de Joinville e do Estado em todas as suas formas, recentemente foi empossado o novo presidente da AJL (Academia Joinvilense de Letras), que tem como principal objetivo reativar as atividades da Academia que estava adormecida há muitos anos.

Como foi o início de sua trajetória profissional? Formado pela Faculdade de Direito de Santa Catarina (hoje absorvida pela Federal) em 08 de dezembro de 1956, no dia 08 de fevereiro de 1967, comecei a advogar em Joinville e região (São Bento, São Francisco, Araquari, Guaramirim, Jaraguá, Rio Negrinho, Mafra, com freqüência aos tribunais regionais e federais em Porto Alegre, depois Curitiba e Florianóplis,  e Brasília).

Quais foram os momentos mais importantes de sua vida profissional e pessoal? Os momentos importantes na minha vida profissional se confundem com os pessoais. De maneira geral os momentos mais importantes (ou mais compensatórios) sempre foram relacionados com a saudosa Stelinha (aprovada em vestibular de Direito, quando já avó) e depois notável advogada; com os filhos Simone; Carlos Adauto; Jacquie;  Marcel e  Jovenil  “filho “adotado. Após a viuvez, os melhores momentos vieram com a Marcia, atual esposa, diplomada em Hotelaria, Gastronomia e Etiqueta pelo Centro Europeu de Curitiba, que lhe valeu o sucesso nos Hoteís do Bosque (Joinville) e Porto de Paz (Balneário de Ubatuba, SFS). E suas duas filhas Carol e Camy.
No auge de seus 80 anos, o que espera do seu futuro? O que ainda pretende fazer? Aos meus primeiros oitenta anos, já com quatro livros de contos e crônicas e alguns prêmios literários, ainda pretendo continuar escrevendo, lendo e relendo e lutando pelo desenvolvimento da cultura em todas as suas formas (feiras de livro, academias, confraria de letras, debates sobre teses literárias  e jurídicas, várias destas já apresentadas em conferências da OAB seccional e federal com louvores e prêmios.
Qual a importância em reativar a Academia Joinvilense de Letras? A Academia Joinvilense de Letras tem uma enorme importância para a Cultura Intelectual de Joinville e do Estado, pois poderá ser a continuação da obra de  eruditos e cultos colonizadores  que a fundaram e engrandeceram e não podem ficar esquecidos, mas devem ser, permanentemente, reconhecidos, que são os Patronos das Cadeiras.
Qual o motivo de usar o pseudônimo “Charles D’Olenger” ? Charles d´Olengèr foi uma resposta á ditadura de 64 que não admitia escrevesse nos periódicos com o meu nome de batismo. Tornou-se uma lenda e uma simbólica ponte sobre o Cachoeira : “Ponte do Charlot”, codinome nos anos de chumbo.