Entrevista Sala VIP com Vanessa Martinelli

73-358--15 (1)

Criatividade e imaginação é o que não faltam para a doce e amável psicóloga e escritora joinvilense Vanessa Luiza Martinelli Levandowski. Graduada em Educação Artística e em Psicologia, Vanessa atuou como psicóloga clínica por oito anos, até que por um problema trombótico precisou reduzir sua horas sentada, tornando-se inviável manter um consultório. Hoje ela se dedica a laudos técnicos empresariais e coaching em empresas. Além disso, faz dois anos que resolveu se inserir no mundo literário. E o reconhecimento como escritora já veio, com um prêmio que acabou de receber da Editora Saraiva.

Quando surgiu a vontade de escrever? Sempre gostei de escrever, lia muito na adolescência. Penso que minha escrita é fruto disso. Um dia eu estava com minha filha em uma livraria e comecei a folhear livros. Confesso que me desanimei com o que vi. Resolvi então que faria um livro para ela, quando tivesse seus 13, 14 anos. Dali saiu meu primeiro livro “Amigos Inimigos”, que foi publicado pela editora Novo Século em 2012.

Qual é o seu público alvo? Escrevo para o público infanto-juvenil, que engloba a pré-adolescência e adolescência. Adoro esse público. Eles são calorosos, queridos, amáveis. Estão passando por uma fase difícil e a leitura tem a missão de trazer alegria, conforto, identificação, tornando mais fácil esse momento.

 

Pretende escrever outro tipo de literatura? Por enquanto estou feliz escrevendo para os adolescentes. Não tenho vocação para o drama, que normalmente é o gênero adulto. Esses dias tentei escrever algo mais triste, mas não durou nem cinco minutos e já descambou. Sempre coloco uma piada no meio. Adoro rir, adoro fazer os outros rirem. Talvez um dia me arrisque a fazer um livro infantil, um gênero muito alegre também. Ou um adulto jovem, mais leve.

 

Você já escreveu quantos livros?  Tenho dois livros publicados pela Novo Século, para o público adolescente,  “Amigos Inimigos” e a continuação “Amigos Inimigos- A formatura” que foram publicados em 2012 e 2013. Eles falam sobre dois amigos, a Maria e o Jack, que eram muito ligados quando criança. Mas o tempo passou e eles mudaram. As diferenças afastaram os dois, tornando-os mais inimigos do que amigos. São dois livros engraçados, que falam de relacionamentos, amigos, mudanças.

Conte-nos sobre o prêmio que recebeu da Editora Saraiva.  Esse prêmio é pelo meu terceiro livro que escrevi este ano, mas ainda não publicado. Ele fala da vida de Fiorella, uma adolescente querida, vivendo todas as “montanhas russas” dessa fase. É um livro de crônicas bem divertido. Quando me ligaram dizendo que eu era uma das finalistas da categoria juvenil  do Prêmio Saraiva fiquei catatônica. No dia da premiação, quando o Zeca Camargo anunciou que eu havia ganho o primeiro lugar, não acreditei. Demorei um tempo para entender o que estava acontecendo. Meu livro será publicado pela Saraiva em 2015.

 

Qual seu maior sonho?  Ver minha filha crescer com saúde, tornando-se uma mulher feliz, de bem com a vida. Envelhecer com sabedoria, com saúde, ao lado do meu marido, aproveitando cada momento da vida. A felicidade está no momento. E nós a criamos dentro de nós.

O que gosta de fazer nas horas livres? Escrevo, fico com minha filha, meu marido, minha família, faço atividade física, leio, alimento meu blog e as redes sociais.