Londres (Inglaterra)

A primeira vez que estive em Londres foi somente por um dia. Estava a bordo de um navio que parou no Porto de Dover e fui de ônibus até lá.
Visitei os principais pontos turísticos como: Big Ben, Tower Bridge, London Eye, St Paul’s Cathedral, Buckigham Palace, trafalgar Square e Oxford Street. Mas em uma cidade como Londres precisamos de mais tempo para explorá-la e conhecê-la melhor. Existem lugares maravilojsos e muito interessantes para visitar.
Londres é uma das cidades eropéias mais encantadoras, simpáticas, acolhedoras e cosmopolitas que já conheci. O povo é tranqüilo e ao mesmo tempo arrumado, juventude eclética como punks, passando pleos góticos e hippies, crianças e adolescentes com belíssimos uniformes escolares, mochileiros, turistas, enfim uma mistura gostosa de se ver. Então há dois anos voltei e fiquei 3 dias por lá.

London Eye – Roda Elegante, moderna e divertida. A Cara de Londres do século 21. Os londrinos temiam que se tranformasse num trambolho, poluindo visualmente a cidade, mas para surpresa geral, a London Eye, ou roda-gigante do milênio, acrescentou um certo charme à silhueta da capital e está, atualmente, no topo da lista das 10 principais atrações turísticas em Londres que cobram ingressos. Os habitantes se renderam à elegância da estrutura metálica.

Tower Bridge: Inaugurada em 1894, atualmente é um dos pontos turísticos mais visitados da cidade, além de ser conhecida como uma das pontes mais famosas do mundo. A Tower Bridge continua sendo de grande importância para o tráfego londrino, fazendo parte de um dos mais importantes corredores de tráfego da cidade, o London Inner Ring. Suas passarelas foram fechadas, e hoje abrigam a Tower Bridge Experience, uma exposição permanente sobre a história da ponte. suas básculas não mais dependem das máquinas a vapor, um moderno sistema eletrônico é responsável por essa tarefa. Contudo, o antigo mecanismo ainda pode ser visto, na antiga sala de máquinas da ponte. A estação do metrô mais próxima é Tower Hill.

Buckingham Palace – Eu me emocionei ao ver pela primeira vez o Palácio de Buckingaham. De arquitetura austera e cercado de tráfego pesado, o palácio é a residência oficial da rainha Elizabeth II. A troca da guarda é um dos momentos mais esperados. Milhares de visitantes se aglomeram diante do palácio, a qual é acompanhada por uma banda de música que toca um variado repertório de marchas militares e também canções pop muito conhecidas do público em geral.

O Camden Town éa zona mais “louca”de Londres. Aqui é onde se vê desde rastafarians aos punks, passando pelos góticos, hippies, ou todo e qualquer outro estilo que seja considerado original ou “diferente”. Esta é uma zona ideal para se fazer compras de tênis ou de roupa e tem imensos bares, restaurantes e cafés. É um local ótimo para ir com grupo de amigos.

Nothing Hill – Bairro charmoso, com lojas de todos os tipos mas principalmente vintage, anos 60 e 70, lojas de discos antigos, lojas de antiguidades, etc. Essas lojas típicas de Nothing Hill encontram-se parincipalmente em Portobello Road. Nothing Hill é local ideal para se ir tomar um café em um dos muitos cafés que existem nesta rua ou então sair à noite num dos muitos pubs e bares que por ali se encontra.

Meios de transportes: o metrô de Londres, popularmente conheciddo como “The Yube”, conta com 16 linhas interligadas e opera em um total de 275 destinos. Se por um lado o metrô é um dos meios de transporte mais importantes de Londres, por outro lado, o mais conhecido no mundo inteiro é o serviço dos ônibus vermelhos de dois andares. As linhas 9 e 15 estão voltadas especialmente ao turismo, cobrindo os trajetos que passam pelo centro histórico e chegando aos lugares mais populares de Londres. Outra forma de transporte muito habitual em Londres é o táxi. Os tradicionais black cabs (táxis pretos) são indubitavelmente a alternativa mais cômoda para locomover-se pela cidade.